Rua Santa Fé, 584 - Loja 03 - Centro - Pinhais/PR - CEP: 83324-230

7 métodos essenciais para uma boa gestão humanizada nas empresas

Entenda a importância de incorporar um papel de liderança humanizada e dicas de método para implementá-la na política da sua empresa de forma eficaz

Praticar uma gestão humanizada dentro das empresas é crucial para obter resultados e sucesso. Afinal, nada melhor do que uma equipe feliz e trabalhando em um ambiente saudável. Portanto, é essencial adotar métodos de liderança mais humanos, a fim de, para além do lucro, conquistar e tornar o colaborador parte da empresa. Isso não significa se tornar uma instituição livre de erros, mas sim capaz de aprender com todos eles e passar conhecimento aos colaboradores, adotando, ainda, um papel de líder presente, observador e empático.

Ou seja, é preciso ser ouvido e estar a postos para entender e visualizar todo o processo produtivo da empresa. Nesse cenário, conforme Sandro Gonzalez, presidente do Conselho da Holding Transpes, empresa do setor de logística e transporte, e autor do livro “O valor das pessoas”, no qual reflete e detalha seu método de gestão de pessoas, a gestão humanizada deve ser pautada na cultura da organização. A empresa em si precisa ser humana e pessoal, e não apenas criar programas.

“Ter um programa de gestão humanizada que não seja lastreado em uma cultura humanizada é fadado ao fracasso”, opina o empresário e CEO, já eleito como o mais admirado do Brasil pela Você S/A e como um dos 25 melhores CEOs do país pela Forbes. Não à toa, ele dá 7 dicas essenciais para incorporar uma boa gestão humanizada nas empresas e, claro, uma liderança de sucesso. Confira:

1- Meça a felicidade de seus colaboradores e use como termômetro!

A neurociência comprova que um funcionário feliz em um ambiente saudável de trabalho entrega até 20% mais do que um funcionário infeliz em um ambiente tóxico. Ou seja, sobre as mesmas competências, com os mesmos protocolos e processos, no mesmo ecossistema, alguém que está feliz e gravita em um ambiente saudável entrega mais do que alguém que está insatisfeito, triste, angustiado ou depressivo. Assim, incorporar pesquisas que meçam a felicidade dos funcionários é muito importante para entender o clima organizacional da empresa e o que se faz necessário ajustar. Afinal, pessoas são dinâmicas e mudanças são importantes para alinhar o que “não funciona mais”. As pesquisas devem ser abrangentes e direcionadas pelo RH.

2- Aprenda com os erros/derrotas e repasse conhecimento

Um dos maiores e mais trágicos acontecimentos do século XX foi o naufrágio do Titanic. Essa e outras tragédias podem ajudar a explorar detalhes úteis para o aprendizado sobre liderança. Isso porque há vezes que a derrota e fracassos podem ensinar mais do que as vitórias. Dessa história é possível extrair seis princípios que podem gerar lições para uma gestão de sucesso, como o perigo da soberba ou arrogância, o perigo do individualismo, o perigo da procrastinação, cuidado com a falta de integridade, o perigo da obsolescência e a falta de um planejamento. Assim, é crucial entender que erros ensinam e devem ser observados para gerar lições a serem compartilhadas com a equipe, a fim de que os insucessos não se repitam.

3- Seja presente e observe

Outro método importante é sempre estar presente e observar a equipe, a empresa e o que ela produz e é. Ou seja, é essencial analisar o engajamento do colaborador, a comunicação entre eles e a conexão com a liderança, se existe conexão de ideias, propósitos, sentimentos. Essa percepção é importante para que seja possível entender o perfil dos colaboradores e equipe. Para isso, é preciso caminhar pelos lugares, perceber a atmosfera e o estado emocional das pessoas. É preciso estar presente, conversar e identificar os anseios e relacionamentos criados dentro da corporação.

4- Desperte a consciência do coletivo e use bem a comunicação

É crucial manter a comunicação com a equipe de forma assertiva, tendo em mente a consciência do coletivo, fazendo a escolha certa de palavras. Isso porque é importante ter empatia e entender como as palavras podem afetar aquele que escuta. Não à toa, visões, planos e metas podem receber nova vida ou morrer no descrédito, dependendo das palavras que o líder escolher para apresenta-las. Já quando se escolhe as palavras certas, uma constatação tem maior probabilidade de se tornar incontestável e, claro, de gerar entusiasmo na equipe. Portanto, envolva a equipe, desperte a consciência do coletivo, pensando sempre de forma empática e pessoal, e saiba usar a comunicação para gerar interesse e não afetar negativamente a equipe.

5- Mantenha atenção aos valores

Tenha em mente os valores, missões e visões da empresa, de forma a acentuar tais perspectivas na equipe e nos colaboradores. Portanto, busque tomar decisões respaldadas nesses três pontos e não se esqueça nunca de transformar o seu funcionário. Afinal, os valores da instituição têm total relação com os valores de seu time. Além do mais, o maior papel de um líder é dar ao seu colaborador uma nova versão de si, o engradecendo.

6- Adote a Regra de Ouro: reciprocidade

Faça ao outro aquilo que deseja que fizessem a você se elas estivessem na mesma situação. Essa é a regra de ouro, importante na política de humanização do modo de liderar. Trata-se de uma “ética de reciprocidade”. Isso porque se colocar no lugar do outro torna as decisões mais empáticas e pessoais, uma vez que se avalia e redireciona os impactos no outro. Ainda que seja uma atitude difícil e necessária, tome-a tendo em mente como gostaria que tal ação recaísse sobre você, atrelada a comunicação assertiva, escolhendo as palavras certas.

7- Tome decisões em ‘solitário’

Reflita em solitário sobre as alternativas, de forma a pensar e repensar as oportunidades e impactos. Mas, tenha em mente os impactos de cada decisão e os demais métodos de comunicação, valores e reciprocidade.